Comitê Federal vai fiscalizar vazamento da Hydro no Pará

  Os danos ao meio ambiente foram tantos que pelo menos nove igarapés e rios estão com níveis de metais tóxicos acima do permitido. Criado em 22 de março deste ano pelo Governo Federal e sob a coordenação da Casa Civil da Presidência da República, o comitê de gestão e avaliação de respostas ao vazamento de rejeitos de bauxita vindos da barragem...

Homem morto a tiros por dois em moto no bairro da Pedreira

  Um rapaz, identificado como Patrick dos Santos, de 23 anos, foi morto a tiros na noite desta terça-feira (24) no bairro da Pedreira, em Belém. Segundo informações preliminares, ele teria sido seguido por duas pessoas em uma moto quando foi alvejado. O crime aconteceu na travessa Angustura, próximo a avenida Pedro Miranda. O IML foi acionado...

Silêncio de Jatene pode gerar prejuízo bilionário ao Estado

Registros de homicídios e crimes aumentam no Pará a cada dia. E o Governo não consegue frear (Foto: Marco Santos) Não é só a população que está mal informada sobre os reais números da Segurança Pública do Pará. O Governo do Estado segue dificultando a divulgação dos dados a ponto de precisar ser cobrado pelo próprio ministro da Segurança Pública,...

Sargento é baleado durante volta para casa no bairro do Bengui

  O sargento Hiraildo Leal foi baleado na noite desta terça-feira (24) quando voltava para casa após mais um dia de trabalho. As informações foram confirmadas e fornecidas pela Polícia Militar. O caso aconteceu na avenida Transmangueirão, às proximidades do Centro de Perícias Científicas (CPC) Renato Chaves, no bairro do Bengui, em Belém. A PM...

Norte Energia tem 5 dias para realocar famílias de comunidade impactada por Belo Monte, recomenda MPF

  Jardim Independente I, em Altamira (PA), está em área alagada após reservatório da hidrelétrica. Diligência apontou risco de desabamento O Ministério Público Federal fixou prazo de cinco dias úteis para que a concessionária Norte Energia/SA – responsável pela hidrelétrica de Belo Monte, no estado do Pará – realize a imediata retirada e...

MPF cobra da prefeitura de Belém (PA) informações sobre obras de recuperação da orla de Mosqueiro

  Segundo moradores, obra na praia do Marahú está parada e as intervenções nas demais praias sequer foram iniciadas O Ministério Público Federal (MPF) encaminhou ofício à prefeitura de Belém em que solicita informações detalhadas sobre a realização das obras de recuperação da orla da ilha de Mosqueiro, projeto que recebeu R$ 23,1 milhões em...

MPF acusa afiliada da Band no Pará de discriminação racial

  RBA TV veiculou reportagem de cunho racista contra quilombola de Santarém O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou ação nesta quarta-feira (18) em que pede à Justiça Federal decisão urgente para obrigar a RBA TV de Santarém, afiliada da Rede Bandeirantes de Televisão no oeste do Pará, a reparar danos causados pela veiculação de reportagem de...
PAULO FONTELES: Memória e Legado

PAULO FONTELES: Memória e Legado

  O Instituto Paulo Fonteles, a Fundação Maurício Grabois e a Editora Anita Garibaldi convidam a todos e a todas para o Ato em Homenagem à História e a Memória de Paulo Fonteles, um bravo lutador do povo brasileiro. De líder estudantil, preso e brutalmente torturado,...

INSTITUTO PAULO FONTELES DE DIREITOS HUMANOS

CartazO Instituto Paulo Fonteles de Direitos Humanos é uma entidade da sociedade civil, sem fins lucrativos, democrática, ecumênica, apartidária e politizada que atua na promoção e defesa dos direitos humanos observando sua universalidade, interdependência e indivisibilidade nas condições da Amazônia paraense, região marcada por conflitos históricos gerados pela forte penetração econômica de grupos nacionais e estrangeiros que, nos últimos 50 anos, foi o principal gerador do caos fundiário, grilagem das terras, crimes de pistolagem, desmatamento, genocídio indígena, pilhagem das riquezas, trabalho escravo, impunidade, fome e miséria.

O Instituto Paulo Fonteles de Direitos Humanos atuará no sentido de estimular a organização do povo, sua consciência crítica, na perspectiva da compreensão de sua condição de oprimido e buscando caminhos para conquistar ou fazer valer direitos inalienáveis, como a saúde, a segurança, a cultura, a educação, o direito à memória, a verdade, a justiça e à vida plena. Sua plataforma consiste na luta por uma sociedade justa, livre, igualitária, culta e sem classes.

A luta de Paulo Fonteles é fonte de inspiração para as novas e futuras gerações, que no limiar do século 21 ainda enfrentam os mesmos problemas. A sociedade, passados quase 30 anos de seu martírio, é muito desigual. Conhecer a vida de combates de Paulo Fonteles pela democracia, pela reforma agrária, pela independência nacional, pelos direitos humanos, fortalece, na sociedade,  a perspectiva de dias melhores.

AGENDA

SOBRE PAULO FONTELES

A trajetória daquele que seria uma das mais contundentes vozes da luta contra o latifúndio e em defesa das liberdades púbicas teve inicio quando o Brasil estava encarcerado pela quartelada de 31 de Março de 1964, que submeteu o país aos terríveis anos da Ditadura Militar, marcada pelas torturas e assassinatos, além da submissão aos interesses externos, notadamente estadunidenses.

O jovem Paulo Fonteles, oitavo filho do marítimo Benedito Lima e de Cordolina Fonteles – uma dona-de-casa que se tornou símbolo da luta conta a impunidade depois de seu assassinato, em 1987 – tomou parte nas manifestações que eclodiram pelo país quando do assassinato do estudante paraense Edson Luís, morto pela repressão política no restaurante Calabouço, no Rio de Janeiro. Naqueles dias a juventude brasileira ganhou pessoa e postura.

Seus relatos daquele período, pela força da sua poesia, revelam a permanente luta pela vida na forma da denúncia da bestialidade dos torturadores que alcunhava como “cães que cavalgam soltos”. Ali, no famigerado Pelotão de Investigações Criminais (PIC) e depois na Barão de Mesquita, no Rio de Janeiro, um dos maiores centros de tortura do país onde os bárbaros foram adestrados  por  víboras  que  insistiam  em afirmar que os métodos da Gestapo estavam ultrapassados e que era necessário reinventar a Santa Inquisição. Naquelas duras condições, ao saberem da resistência armada da Guerrilha do Araguaia, no Sul do Pará, tanto Paulo quanto Hecilda ingressam nas fileiras do Partido Comunista do Brasil.

Paulo Fonteles é eleito o primeiro presidente da Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos (SDDH) e nesse ambiente, em 1978, se coloca à disposição da Comissão Pastoral da Terra (CPT) para advogar para os camponeses do Sul do Pará.

Sua atuação, como advogado da oposição sindical nas contendas contra o pelego Bertoldo Siqueira, na luta para retomar para as mãos dos lavradores o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Conceição do Araguaia vai destilar o ódio em famigerados, como o Major Curió e o Ministro Jarbas Passarinho. Muitos dos instrumentos e quadros da repressão atuaram para derrotar a oposição e até a Rádio Nacional de Brasília fazia campanha para os caudatários do militarismo.

Em 1982 é eleito Deputado Estadual sob a consigna de “Terra, Trabalho e Independência Nacional” e no curso de sua atuação parlamentar é constantemente ameaçado e por diversas vezes denuncia da tribuna da Assembleia Legislativa do Pará as macabras listas de marcados para morrer onde figurava.

Em 1985, um Coronel do Exército e latifundiário, Eddie Castor da Nóbrega anuncia num dos principais jornais paraenses que iria atentar contra a vida do então Deputado. Fonteles no mesmo jornal responde que “se um coronel tem a ousadia de ameaçar de morte um Deputado abertamente, o que este senhor não faz com os trabalhadores rurais de sua fazenda”, concluiu.

Em 11 de Junho de 1987 todas as ameaças se confirmam e no final da manhã daquele dia é assassinado a mando da União Democrática Ruralista (UDR) na região metropolitana de Belém. A ação que atentou contra a vida de Paulo Fonteles ocorreu no mesmo momento em que se votava, no âmbito da constituinte, o Capítulo da Terra.

  • BREVE TRAJETÓRIA DA VIDA DE PAULO CÉSAR FONTELES DE LIMA

Até hoje os mandantes do assassinato de Paulo Fonteles não foram levados a julgamento e, como centenas de casos da pistolagem perpetradas pelo latifúndio seu crime permanece impune o que revela o caráter do judiciário paraense e brasileiro.

Agende-se
ASSISTA A ÍNTEGRA DA HOMENAGEM A PAULO FONTELES

Paulo Fonteles, sem ponto final - Lançamento do livro

...

...

...

...

...

...

...

DELAS POR ELAS – CONVERSA VIVA

MAIS NOTÍCIAS

para os demais posts visite o BLOG.

Liderança quilombola é morta a tiros na zona rural do Acará

  Vítima já foi presidente da Associação de Moradores e Agricultores Remanescentes Quilombolas do Alto Acará. Caso foi registrado na delegacia de Quatro Bocas. O corpo da liderança quilombola Nazildo dos Santos Brito foi encontrado na manhã deste domingo (15), no...

Matança apavora o município de Ananindeua

  O comerciante Junji Katsuki, 70, diz com todas as letras que não sabe “a hora que vai poder ser a próxima vítima”. (Foto: Irene Almeida/Diário do Pará) Se os constantes relatos de assaltos e roubos já impunham uma rotina de medo, o registro recente de pelo menos 10...

Lançado livro que refaz trajetória de Paulo Fonteles

  “Paulo Fonteles, sem ponto final” é um livro de afeto. A afeição foi notória durante o lançamento oficial da obra escrita pelo jornalista Ismael Machado, na noite desta terça-feira (10/04) na sede da OAB – Pará. A noite de autógrafos reuniu familiares e amigos de...

REDE TVT – SEU JORNAL

Aqui você pode assistir os jornais diários produzidos pela TV dos Trabalhadores.

Parceiros

Sites Relacionados

Redes Sociais

Coleções de Fotos

  • 1ª Caravana de Familiares de Mortos e Desaparecidos no Araguaia

VEJA AS FOTOS DO EVENTO

Paulo Fonteles - 30 anos

.

.