Escolha uma Página

 

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) teve arquivado as citações feitas por um dos delatores da Odebrecht, José de Carvalho Filho, de que teria recebido recursos de caixa dois e propina. O ministro Felix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ) mandou arquivar as citações, a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), por entender que não existe nenhum indício para uma investigação contra o governador.

Em suas redes sociais, Dino declarou: “A verdade venceu!”. No entanto, o governador lamentou o fato da imprensa local divulgar uma notícia falsa para a sociedade. O jornal O Estado, estampou a “denúncia” na capa da edição desta última terça-feira (29). Com a manchete: PGR envia ao STJ pedido de inquérito contra Flávio Dino. E a falsa notícia também foi veiculada na TV. O poder da imprensa utilizado de forma errônea e tendenciosa pode prejudicar como beneficiar algum lado da história. Este acontecimento foi denunciado pelo blog Conversa Afiada, do Paulo Amorim.

O jornal O Estado pertence ao Grupo Mirante, que é uma rede de televisão brasileira afiliada à Rede Globo no Maranhão. O grupo era propriedade de Fernando Sarney até abril deste ano.

Segundo o site do Paulo Amorim, inventar falsos escândalos contra o atual governador é interessante e oportuno para a família Sarney. Porque a ex-governadora Roseana Sarney está se mexendo para as eleições de 2018, com interesse em voltar ao cargo de governadora. O que pode ser um pouco difícil, já que Roseana foi denunciada pelo Ministério Público do Maranhão por um suposto esquema fraudulento de concessão de isenções fiscais a empresas, que causou um prejuízo de R$ 410 milhões.

Flávio Dino é um nome importante na história do estado maranhense, ele deu fim a um poder hegemônico, de governos alinhados a José Sarney que perdurava desde 1965.

O governador lamentou o falso jornalismo que alguns meios de comunicação fazem em prol de interesses políticos e econômicos. Sendo imparciais, tendenciosos e fugindo da verdade.