vermox pro gatto

 

A trajetória do advogado assassinado no Pará há mais de 30 anos é tema do livro Paulo Fonteles Sem Ponto Final, do jornalista Ismael Machado, que será lançado em São Paulo no próximo dia 26 de abril.

A iniciativa de lançar o livro em São Paulo é da Fundação Maurício Grabois em conjunto com o Instituto Paulo Fonteles e a Editora Anita Garibaldi. Na ocasião será realizado um Ato em Homenagem à História e à Memória de Paulo Fonteles, um bravo lutador do povo brasileiro. De líder estudantil, preso e brutalmente torturado, Fonteles tornou-se advogado de trabalhadores rurais e defensor dos direitos humanos, chegando a deputado estadual paraense. Paulo Fonteles foi brutalmente assassinado em 1987 e deixou um legado de luta de resistência.

“O assassinato do advogado Paulo Fonteles no Pará, quando o país vivia a redemocratização, diz muito sobre a violência que continuamos a enfrentar 30 anos depois. A execução de defensores de Direitos Humanos, como Paulo Fonteles, continua sendo uma realidade no país – e, em particular, na Amazônia, o impacto da ditadura na Amazônia deixou um rastro de destruição exposta na execução dos guerrilheiros, no massacre de indígenas e camponeses, na expulsão de ribeirinhos e quilombolas. Segue a disputa pela terra entre os que querem como lugar para viver e os que a vêm como lugar para explorar.”, afima a jornalista Marina Amaral, daAgência Pública.

Participarão da organização da homenagem a OAB São Paulo, o Memorial da Luta pela Justiça, o Núcleo Memória e a Comissão Pastoral da Terra. O evento tem ainda o apoio da União da Juventude Socialista (UJS), da União Nacional dos Estudantes (UNE) e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

Fundação Grabois e Instituto Paulo Fonteles

Nesta quarta-feira (18), o presidente da Fundação Maurício Grabois, Renato Rabelo, recebeu a visita de integrantes do Instituto Paulo Fonteles, que lançarão na próxima semana o livro Paulo Fonteles Sem Ponto Final, em São Paulo.

O encontro com Renato Rabelo foi a oportunidade para o dirigente comunista expressar seu sentimento pelo falecimento em 26 de outubro de 2017 de Paulo Fonteles Filho, que coordenava o Instituto que preserva a memória de seu pai. A morte precoce de Paulinho marcou profundamente o PCdoB do Pará, mas deixou uma forte comoção em todo o Partido, ele que além de um militante comunista dos direitos humanos conhecido no Pará, era um colaborador perene das iniciativas da Fundação Maurício Grabois. na visita, o Instituto Paulo Fonteles de Direitos Humanos foi representado por Moisés Alves, Pedro Fonteles (irmão de Paulinho) e Angelina Di Angelis (viúva de Paulinho).

A Fundação Maurício Grabois reafirmou a parceria com o Instituto no sentido de valorizar a memória do deputado e advogado comunista Paulo Fonteles, assassinado na luta pela terra.

Serviço

Local: Memorial da Luta pela Justiça
Av. Brigadeiro Luís Antônio 1249 – Bela Vista SP/SP
Horário: 19 horas
Data: 26 de abril de 2018

FONTE: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=310185