vermox gegen case dojenja

 

Para Raquel Dodge, a nova regra afronta o artigo 37 da Constituição, que dertermina contratação sem concurso público apenas em casos excepcionais e urgentes

Em parecer enviado esta semana ao Supremo Tribunal Federal (STF), a Procuradoria-Geral da República (PGR) reforçou a inconstitucionalidade de trechos contidos no artigo 1º da Lei Complementar 7/1991, do Pará, que determina a contratação temporária de profissionais, sem concurso público, para preencher falta ou deficiência de pessoal. De acordo com a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, a lei contraria o artigo 37, inciso IX, da Constituição Federal, que admite esse tipo de admissão somente em casos de urgência e extrema necessidade.

No documento, a PGR afirma ser fundamental que a contratação sem concurso prévio seja de carácter temporário. Os serviços prestados também precisam ser indispensáveis, o prazo da função tem de ser predeterminado, os cargos precisam estar previstos em lei e é necessário que o interesse público seja excepcional. “Lei autorizadora de contratação temporária de servidores públicos que não estabeleça prazo determinado ou que disponha de forma genérica e abrangente, sem expressamente especificar as hipóteses ensejadoras da contratação é, portanto, inconstitucional”, afirma Dodge.

O parecer ressalta ainda a necessidade de se identificar, de forma expressa e específica, a singularidade da contratação, sob pena de burlar a exigência do concurso público. “São, por conseguinte, inconstitucionais as expressões ‘por exemplo’ e ‘falta ou insuficiência de pessoal para execução de serviços essenciais’, contidas na lei complementar do Pará, por admitir contratação temporária de forma vaga e abrangente, sem demonstração das situações de contingência excepcional que legitimaria a exceção do art. 37, IX, da Constituição à cláusula do concurso público”, destaca a procuradora.

 Íntegra do parecer na ADI 5673

Secretaria de Comunicação Social
Procuradoria-Geral da República
(61) 3105-6406 / 6415
pgr-imprensa@mpf.mp.br
facebook.com/MPFederal
twitter.com/mpf_pgr

FONTE: http://www.mpf.mp.br/pgr/noticias-pgr/pgr-reforca-inconstitucionalidade-de-lei-complementar-de-contratacao-do-para