Escolha uma Página

 

Crime foi em 1994, quando as vítimas foram executadas. Elas teriam assassinado um PM e roubado a arma dele. Caso será julgado em um total de cinco sessões.

Um policial militar e três ex-PMs sentam no banco dos réus nesta segunda-feira (6) no Fórum Criminal de Belém. Os quatro e outros 13 militares respondem por uma chacina que vitimou três jovens suspeitos de latrocínio em 1994. O julgamento do caso será realizado em um total de cinco sessões.

Preside a sessão de júri desta segunda-feira o juiz Cláudio Henrique Rendeiro, da 4ª Vara. O corpo de jurados é formado por sete integrantes. A promotora do júri é Ana Maria Magalhães.

Os réus são Silvio Carlos Saldanha dos Santos, policial militar na ativa; Miguel Antônio Quaresma Lemos, Adalberto Costa Monteiro e João Rodrigues Monteiro, ambos policiais da reserva.

Os militares são acusados de executar Max Cley Mendes, Marciley Rosenal Melo Mendes e Luiz Fábio Coutinho da Silva. Segundo a denúncia do Ministério Público, os jovens foram presos na rodovia do Tapanã, colocados nas viaturas dos policiais e posteriormente executados.

As vítimas teriam roubado a arma e assassinado (crime de latrocínio) o cabo da PM Waldemar Paz Nunes. O crime foi em 1994 e na época, 16 dos envolvidos estavam sob o comando do policial Neil Duarte de Sousa, atual deputado estadual, que será submetido a júri no dia 16 de agosto.

FONTE: https://g1.globo.com/pa/para/noticia/2018/08/06/militares-vao-a-juri-acusados-de-chacina-de-jovens-suspeitos-de-latrocinio-em-belem.ghtml